Páginas

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Sou garota e só quero me divertir. E daí?



A sociedade já passou por muitas transformações, isso é fato. Outro fato também é o de que nós, mulheres, sejamos feministas ou não, conquistamos muitos objetivos ao longo desses anos. Muitos paradigmas já foram derrubados por nós e hoje podemos desfrutar de experiências jamais esperadas para nosso gênero. Foi ouvindo a maravilhosa canção de Cindy Lauper que me vi escrevendo esse texto às 7 da manhã de uma quarta-feira livre. Sou uma garota de 18 anos e espero muito ter bastante chão pra percorrer nessa vida. Espero mesmo conhecer pessoas incríveis e lugares indescritíveis. Quero conhecer o meu último amor, porque esse eu saberei que é o verdadeiro amor da minha vida. Mas eu também quero me divertir. E por hoje, eu SÓ QUERO ISSO! E me divertir não significa me jogar numa balada e parar num quarto qualquer com vários caras. Minha concepção de diversão é poder conhecer pessoas diferentes de mim, pessoas mais corajosas que eu, pessoas mais vividas que eu, pessoas mais interessantes e com algo a acrescentar na minha vida. Diversão para mim é reservar uma noite pra encontrar as melhores amigas, comer besteiras e falar sobre amor e sobre a vida sem hora pra acabar. Me divertir vai além de colocar uma roupa bonita e dançar a noite toda numa boate, até porque quem me conhece sabe que eu não suporto essa ideia. Minha ideia de diversão muitas vezes se resume a pijama, música boa, frio, nutella e netflix. Mas há quem goste da energia da balada e eu as respeito com todo o meu coração, de verdade. Garotas só querem se divertir e isso não é problema nenhum. Garotas têm sonhos, vontades e desejos como qualquer outro ser humano. Garotas precisam viver e se arriscar. Não há errado em querer namorar um só cara. Não há nada errado em querer ficar com mais de 1. Não há nada de errado em querer ser quem elas realmente são. E não cabe à sociedade alguma julgá-las. Girls Just Wanna Have Fun. 

terça-feira, 7 de julho de 2015

Cartas para o amor - 1




Oi. Faz tempo que eu não te escrevo, mas hoje eu precisava disso. Ouvi dizer semanas atrás que você está noivo. Eu não deveria ter ficado surpresa com a notícia. Afinal eu sempre soube que você era esse tipo de cara. Feito pra casar e mimar a pessoa ao seu lado. Hoje eu quase não me atrevo a olhar pra trás. Mas às vezes me faz tão bem parar por alguns minutos e pensar em nós dois tempos atrás. Lembrar aquele final de semana em que fomos para aquele resort e você me ensinou a nadar. Lembrar aquele dia chuvoso no qual você me convidou pra tomar um café depois do expediente. Lembrar todas aquelas horas em que passávamos juntos, apreciando a companhia um do outro, trocando fatos dos nossos dias, trocando olhares e sorrisos, abraços e beijos verdadeiros. Sempre que me permito recordar esses momentos, recordar a nossa vida juntos, me sinto feliz. Feliz porque eu sei que por muito tempo eu fui amada por você. Mas ainda é tão estranho, mesmo que um ano tenha se passado desde a última em que você me deu um beijo e disse que me amava, notar que o amor ficou no passado. Notar que eu fui amada por você, mas que hoje não sou mais. Não posso ser falsa ou querer fingir ser forte. Não posso simplesmente dizer que isso não dói mais. Porque ainda dói, um pouquinho, mas dói sim. Dizem que o amor tem 3 fases: começo, meio e fim. E dizem também que depois do fim, sempre é preciso superar. Mas não é o fim do nosso ralacionamento que eu venho tentando superar. Não. Eu venho tentando superar em todos esses meses a saudade de você, a vontade de te ligar e saber da sua vida, o medo de nunca mais ser a pessoa que eu era com você. 
Eu fui amada por você. E em muitas daquelas vezes, eu não te amei o suficiente. E peço desculpas por isso, pela minha falta de compromisso e atenção. Apesar de tudo isso, eu fiquei feliz ao saber do seu novo passo rumo ao que chamam de felicidade plena e consumada. Fico feliz por você e por ela. E desejo de todo coração, que ela sempre possa dizer que é amada por você. E que ela nunca precise dizer um dia que foi amada por você. Como hoje eu preciso dizer... 

Adeus.

Por: Vivian 

segunda-feira, 15 de junho de 2015

O dia em que me apaixonei por Elvis.



Ele era lindo. Por dentro e por fora. Ele ainda permanece vivo em muitas memórias, em muitos corações e em todas as suas doces canções. 
Ouvir falar dele é uma coisa. Saber de toda - ou quase toda - a vida dele é outra coisa. Difícil encontrar alguém por aí que não tenha ouvido falar dele ou dançado ao som das suas músicas mais agitadas. Mas essas ainda não são as minhas favoritas. E pra você saber, eu tenho a minha favorita sim. Foi com essa linda canção - que me faz querer chorar sempre que a escuto e que faz meu coração bater calmo e sereno - que eu me apaixonei por ele, pelo cara da voz encantadora, por aquele que carregava o sobrenome de Presley. O rapaz de Mississipe me conquistou assim que meu coração ouviu Always on my mind. E então eu soube que aquilo era amor. 
Eu me apaixonei por Elvis numa manhã de sexta-feira, 12 de Junho de 2015. E não por uma coincidência, mas definitivamente por destino: era o dia dos namorados. 

Com amor,
Vivi.

sábado, 30 de maio de 2015

Texto do dia




Não seja metade de alguém. Não seja apenas metade de si mesma. Não se complete com outra pessoa. Você nasceu assim, inteira, completa,  com seus defeitos e suas qualidades, com seus sorrisos e suas dores de cabeça. Não queira encontrar no outro tudo aquilo que você tem em si. Aprenda a se amar, aprenda a gostar da sua falta de habilidade na cozinha, aprenda a sorrir diante do caos da vida. Aprenda a se amar por inteiro, sem perdas, com ou sem danos. A vida não é perfeita, mas no fim das contas é a gente quem decide isso. A gente nasce pra ser feliz, pra ser do bem, pra se amar e se aceitar do jeitinho que a gente é. Não deixe sua felicidade depender da boa vontade do próximo. Faça a sua caminhada por si própria. Abandone seus medos e siga em frente. Sou a favor daquilo de que "é impossível ser feliz sozinha" mas também sou a favor de que pra ser feliz a dois, é preciso saber ser feliz a um. O resto, a gente compensa com o tempo. 

sábado, 2 de maio de 2015

Pra ouvir, amar e relaxar - O7




YAY! Primeiro post de Maio, esse mês lindo e que eu só desejo que seja cheio de luz e amor! 

Um dia desses me dei conta do quanto ouvir Banda do Mar e She & Him me faz um bem danado. E também cheguei a conclusão de que uma banda é praticamente equivalente a outra no meu ponto de vista. Esse tipo de post é sobre as músicas que eu gosto, aquelas que embalaram os últimos dias e que me fazem bem. São músicas pra ouvir, amar e relaxar, ao seu modo. Nessa semana, teve muito amor. Cheia da voz da Malu Magalhães, da voz da Zooey Deschanel e com uma pitadinha de AnaVitória porque sim!

Clica aqui pra ouvir todas as músicas! 

1. Seja como for - Banda do Mar
2. Muitos chocolates - Banda do Mar
3. God Only Knows - She & Him
4. Stay Awhile - She & Him
5. Singular - Anavitória

Com amor, 
Vivi

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Sabe quando dá um aperto no coração? Um medo de precisar desistir de um sonho? Uma angústia muito grande por sentir que nada mais poderia ser feito? Sabe quando você acha que não tem mais forças pra lutar? É aquele momento em que a fé que nós ousamos dizer ter, é testada em cima de nós. É, meu caro. Não é nada fácil segurar a barra, mas como já diz a canção "andar com fé eu vou que a fé não costuma faiá..." 

Esses dias eu senti um aperto muito grande no meu coração. Chorei mesmo. Ousei questionar a Deus por que eu não poderia simplesmente respirar em paz. Porquê tudo indicava não ter mais solução. Eu me senti impotente, triste, desacreditada. A barra foi pesada, mas mesmo com tudo isso, eu não deixei de ter esperança. Eu não deixei de crer. 

Li em um livro que há beleza até mesmo nas tempestades. E eu nunca odiei a chuva, os trovões. Muito pelo contrário, eu sempre admirei esses fenômenos. Aprendi com meu pai a respeitar e admirar essas maravilhas do céu. E sim, é verdade que uma tempestade pode nos assustar MUITO. Mas depois, vem a calmaria. Sempre vem. Então, respira fundo, limpa as lágrimas desse rosto lindo, olha pro céu e agradece. Vai dar tudo certo. A gente nasceu pra dar certo. De um jeito ou de outro. 

O que tiver de ser, será. Mantenha a calma e siga em frente. Um texto cheio dos clichês, mas cheio de verdade e fé. Muita fé. 

meu arquivo

segunda-feira, 27 de abril de 2015

A gente é tão pequeno. Aquele velho clichê de quem nós somos apenas um grão de areia é totalmente válido. No mundo tem muita coisa ruim acontecendo. Muita gente sofrendo. E eu sou muito sensível com essas coisas. Mas, convenhamos, só se no lugar do coração houver uma pedra é que alguém não vai se tocar de alguma forma com as coisas que acontecem. Sempre que vejo alguém passando necessidade, alguém sofrendo, alguém lutando pra sobreviver, eu sinto um aperto tão forte no meu coração, uma vontade de chorar, uma angústia grande, uma sensação de injustiça. É aí eu me questiono: por que todo mundo não pode ser plenamente feliz? Ter saúde, ter um lar, ter família, ter comida todo dia. Por que o poder econômico é tão grande para alguns e inexistente para outros? Hoje enquanto eu estava no trânsito vi um senhor de muleta acompanhado de duas mulheres, aparentemente a esposa e a filha. O ônibus estava passando e eles precisaram correr para não perderem. Ele se desequilibrou e por muito pouco não caiu e se machucou. O muito pouco que eu ouso chamar de luz. A luz que com fé em chamo de Deus. É exatamente a fé que não vai me fazer perder as esperanças. Porque fé é acreditar, crer, confiar, ter esperança. Tem uma vontade imensurável dentro do meu ser para ajudar o próximo, tornar a vida dele suave, preencher o estômago dele, pôr um sorriso no rosto. Eu sei que de pouquinho em pouquinho a gente faz um mundo. Meu desejo mais sincero vai aqui: ajudar por amor para um mundo melhor. Se sou cheia de sonhos como eu sempre digo, tu podes ter a certeza que um deles é esse. E com fé e ação eu vou conseguir. Amém. 

sábado, 25 de abril de 2015

Meu sábado: ansiedade, felicidade, gratidão, amor e paz.

Noite de sábado do jeito que eu gosto e to acostumada: em casa, ouvindo música boa e na companhia da mama. Não trocaria e não troco nada disso por uma agitação. A coisa tá boa assim, desse jeitinho. Reviro os sites procurando artigos sobre Medicina e percebo o quanto eu to ansiosa pelo início do meu curso. Tenho aquela leve sensação de que tudo vai ser bem diferente do que eu imagino. Porque sinto que vai ser tudo muito melhor do que eu já idealizo. To ansiosa sim, com frio na barriga sim, com vontade de pular o domingo e começar na segunda-feira logo. Mas calma. Ganhei um prazo bom demais pra descansar, pôr as coisas no lugar e to aproveitando bem isso. Nas próximas semanas vou realizar outro sonho com minha mama querida e estamos muito, mas muito animadas e felizes com isso tudo. Mais uma vez, me dou conta do quanto eu sou feliz e abençoada por tudo e por todos que tenho. Obrigada, papai do céu. Por tudinho, ó. To com saudade dos meus amigos, a vida tá meio corrida pra a maioria deles, mas sei que logo a gente se encontra de novo - e de novo, e de novo... - e se enche de muito amor. Ao escrever esse texto, olhei em torno de mim e pela janela. Brisa suave do vento, noite escura, quase silêncio total no condomínio, paz. Dentro do quarto e dentro de mim toca Singular, música de um EP que tô encantada. Singular me lembra único. E cada momento na vida é único. Não importa quantos mil sábados eu já passei em casa, seja estudando ou apenas vendo tevê. Cada um deles foi único. E continuará sendo. Agora vou cantar um pouquinho aqui e depois dormir. Obrigada por esse dia, papai do céu. Obrigada por esse texto. Obrigada por tocar meu coração mais uma vez. Obrigada. 


sexta-feira, 24 de abril de 2015

A gratidão que eu sinto.

Há um bom tempo eu venho querendo escrever esse texto. Sempre fui aquela menina que pra tudo e todos tinha um "obrigada" acompanhado de um sorriso sincero no rosto. Agradecer sempre foi uma coisa boa pra mim, algo fácil de se fazer porque vinha de dentro do meu coração, era real. É real. E quando eu penso em gratidão, eu penso em Deus, em penso em amor. Mas não qualquer amor. O amor d'Ele. O amor que me guia, me ilumina, me orienta, me acalma, me alegra. Ah, como é maravilhoso sentir esse amor. Como eu me sinto iluminada por ter um amor tão infinito derramado na minha vida. Como eu sou GRATA por todas as coisas boas e bonitas que Deus me proporciona desde muito antes de eu nascer. Agradecer é um ato diário meu. Agradecer pela vida, pelo amor, pela luz, pela saúde, pela família, pelo estudo, pelos sonhos. Agradecer por tudinho é sempre algo que eu faço questão de fazer. E não somente pelas coisas boas, porque nem só de açúcar se vive, não é? Também é preciso agradecer pelos dias ruins, pelas fases difíceis, pelas lágrimas derramadas. Até porque tudo isso me fortalece, me torna mais forte e mais esperta pra próxima. E é graças aos dias ruins que eu e todos nós conseguimos dar tanto valor aos dias bons. E não falo somente da gratidão espiritual. A gratidão é válida em todos os momentos, em todos os sentidos. A vida fica mais leve quando você se mostra grato a ela por tudo, por cada pessoa que convive contigo, por cada fato que lhe aconteceu. Sorrir é um ato de gratidão. Agradecer vai além de uma questão de educação, é uma questão de amor, de amor próprio e ao próximo. Quando a gente agradece, a gente ganha em dobro: a luz, o amor e a felicidade. Agradecer só ajuda, faz mal não, ô menina! 



quinta-feira, 23 de abril de 2015

Porque se doar por amor faz bem.

Sim. Eu me apaixonei por ele. E assim que meu melhor amigo soube, veio logo me dizendo "ei, vai com calma, princesa. Você se doa demais. Nem sempre o outro merece tanto." Eu ouvi aquelas frases com atenção. Fiquei pensativa por um tempo, abaixei a cabeça e depois reergui com um suspiro. Eu me doou demais. Isso é verdade. Não sou alguém que ama por metades, beiradas, pedacinhos. Eu amo por inteiro. E eu me apaixonei por ele porque, assim, diferente dos outros caras, você veio inteiro e não pela metade ou até mesmo carregando velhas metades não esquecidas no meio do caminho. Ele não me olhou nos olhos direito na primeira vez que fizemos aula de laboratório juntos na universidade. Eu me senti incomodada e passei o resto do dia pertubando minha melhor amiga sobre se eu estava com alguma coisa terrível no rosto, mau hálito ou sei lá o quê. Não era nada disso. Ele mesmo me contou no dia seguinte. Ele estava com conjuntivite e não queria que eu pegasse. Mas deu em nada, ô menino. Olhei tanto nos olhos dele dali em diante e nada me aconteceu. Na verdade, aconteceu sim. Mas não só a mim. Aconteceu a nós dois. Eu e ele viramos eu e você em cada frase, em cada canto, em cada esquina, em cada final de sexta-feira no barzinho. Nós viramos eu e você pro mundo, pra vida, pra nossa vida. Essa coisa bonita entre a gente já dura meia década. O curso já está quase no final. Muitas aulas de laboratório vieram. Muitos olhares nossos também. E acompanhados de sorrisos. Com o tempo, trocamos o barzinho agitado pela nossa cama, pipoca e seriado criminal no fim do dia. Tá bem do nosso jeitinho. E eu ainda me apaixono por ele. Todo dia. No fim das contas, meu melhor amigo tinha razão sim. Fiz bem em ouvir com atenção aquelas frases dele. Porque eu me doei totalmente a ele, ao meu menino. Eu me doou inteiramente a ele desde o amanhecer até o anoitecer. E  o recebo inteirinho, por completo, sem perdas nem danos, todos os dias. Assim confirmo que quando é amor de verdade, vale a pena se doar. Às vezes o outro merece. E ele, o menino meu, merece. 

Com amor, 
a menina dele. 




quarta-feira, 22 de abril de 2015

Pra ouvir, amar e relaxar - O6


pinterest


Voltei. Hoje foi dia de acordar cedinho e dar tchau ao meu interior favorito. Pegar as malas, pôr toda a bagunça no carro e tomar a estrada. Com preguiça, com sono e um tantinho chateada porque sim. Sou muito apaixonada por aquele lugar e não vejo a hora de voltar, mas graças a Deus, tem muita coisa boa vindo por aí e eu louca pra contar tudin, mas calma. E mais uma vez, thanks God!

Pra essa semana, eu trouxe alguns música que são maravilhosas e muito amorzinho de se ouvir, ó!

Pra ouvir todas as músicos, clica aqui!

1. Singular - AnaVitória
2. A Noite - Tiê
3. Amor, Meu Grande Amor - Lucas Santtana
4. Cores - AnaVitória

Com amor,
Vivi

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Cozinha com amor - Bolo de Limão!





YAY! Essa coisa de vir passar uns dias no interior sempre me faz um bem danado, mas por outro lado me faz querer testar novas receitas e como já falei antes, nada combina mais com interior - ao meu ver! - que um bolo bem fofinho e super delicioso com um café - ou chá! - bem quentinho. Vai dizer que não concorda? AHÁ! 

E como eu amo bolo, torta, biscoito, suco, enfim quase TUDO de limão, eu tinha que aprender a fazer um bolo de limão, rapaz! Tomei coragem e hoje coloquei a mão na massa e tô felizona com o resultado, ó! ❤


Ingredientes do amor
Farinha de trigo (2 e 1/2 xícaras)! Suco de limão (4 limões)! Baunilha (1/2 colher de sopa da essência)! Açúcar (1 xícara)! 4 ovos! Sal (uma pitada)! Fermento (1 colher de chá)! Bicarbonato de sódio (1 colher de chá)! Leite (1 xícara)! 200g de margarina! 

Preparo com amor:
Bata bem a margarina com o açúcar até ficar esbranquiçado. Acrescente os ovos um a um e mexa bem. Acrescente a farinha de trigo peneirada com o fermento, o sal e o bicarbonato de sódio. Misture bem e vá acrescentando o leite aos poucos, mexendo sem parar. 
Acrescente a essência de baunilha, mexa mais um pouquinho e finalmente despeje o suco dos limões sobre a mistura e mexa mais. Leve para assar em forno a 180 graus em uma forma untada e enfarinhada por 40 minutos ou até espetar um palito no bolo e ele sair limpo!




Ei! Se quiser incrementar mais seu bolo, prepare aquela ganache que já eu ensinei aqui e despeje por cima dele! SÓ SUSPIROS. 


 
Pronto, meu bem! Bolo feito, cheirinho de limão perfumando a cozinha toda, é só passar um cafézin e se abraçar - ou abraçar uma pessoa amada e querida! - porque você merece, ó! Já corri pro abraço com minha mama, haja amor. 

*Cozinhe ouvindo Mais Ninguém - Banda do Mar 

Com amor,
Vivi

domingo, 19 de abril de 2015

Um amor: F.R.I.E.N.D.S ♡




 meu arquivo

Um minuto de suspiros para esse texto. Obrigada. Ai meu heart. Sério! Eu fico muito feliz em escrever sobre essa série maravilhosa que conquistou meu coração em 2014, após 10 anos do seu término. 

Sim, eu demorei MUITO pra me render a eles. Demorei muito tempo pra parar e finalmente assistir às brigas da Rachel - minha favorita! - com o Ross, ao amor infinito e fofo da Monica com o Chandler, às piadas internas adoráveis da Pheobe e ao - irresistível - charme sedutor e muito bobo do Joey. Pois é, meus caros, eu demorei mesmo e NÃO ME PERGUNTEM PORQUÊ, pois até hoje eu não tenho resposta. Mas o bom disso tudo, é que eles chegaram na minha vida no momento certo e me ensinaram tantas coisas lindas. E isso fez toda a espera valer a pena. E ó, cês não tem ideia do quanto eu AMO esses seis ♡!

Tá triste? Eles te ajudam a sorrir e ficar feliz de verdade. É como se todos os seus problemas desaparecessem por cerca de 30 minutos - isso se você realmente só conseguir assistir um episódio, porque eu já vou logo te advertindo, meu caro, a sede por mais é inevitável!

pinterest

Tá feliz? FRIENDS também vai te deixar muito mais feliz. É sim impossível não dar boas - e altas! - gargalhadas com as piadas sem graça - mas que ganham todo um sentido especial com ele, ó! - do amado Chandler ou com os ataques do Ross por qualquer coisa. Sem contar as cortadas - maravilhosas! - da Pheobe, haha! 

Ai gente... SÉRIO! Vocês só vão continuar lendo esse post se realmente: amarem/estiverem dispostos a amar FRIENDS ou se amarem o blog, porque tô sentindo que esse aqui vai ser looooongo! Mas é amor gente. E quando eu falo de amor, vocês já sabem, eu vou até os dedinhos doerem de tanto digitar! 

 pinterest

How You Doin? - se preparem para ouvir muito isso do Joey acompanhado do seu olhar mais sedutor do universo! Tá bom, acho que todos já perceberam que sim, eu tenho uma quedinha por ele. E sim, apesar do tempo ter passado, ele só melhorou, ó! Ai, Joey...

Fatos que aprendi com esses seis! 

1. AMIZADE É AMOR: a série me ensinou o valor de uma amizade verdadeira. Sabe? Eu amo meus amigos e a amizade de FRIENDS, todo esse amor, traduz bem o que eu tenho com os meus amigos lindos da vida. I'll be there for you cause you are there for me too... ❤
2. RIR É SEMPRE O MELHOR REMÉDIO: não importa o quanto as coisas pareçam dar errado, o quanto o seu dia foi cansativo, o quanto doeu brigar com aquela pessoa amada, o quanto aquela gripe chata está te incomodando, rir sempre vai te deixar melhor, mais disposto e muito mais feliz. Como eu já disse em outro post, nada mais poderoso que um belo sorriso - e riso alto e espontâneo - pada afastar todo o mal! 
3. SER EU MESMA: sim, essa tecla que eu bato direto aqui no blog. Você pode ser você mesmo, sempre! Na verdade, você deve. Porque você é especial do jeitinho que é. E amigos de verdade vão te amar exatamente pela pessoa linda que você transmite ser. 

    pinterest

E eu não poderia terminar esse post sem comentar sobre o Central Perk, entendedores entenderão, ó! Gente, que lugar era aquele pelo amor de God??? Um sonho, um cantinho delicioso, o café favorito da vida! Por um mundo onde em cada cidade tenha um Central Perk, por favor, obrigada. Vai que cola, né? 

  pinterest

São 10 temporadas incríveis, divertidas e todas cheias de MUITO amor! Pena que acabou, né? Mas ainda sou dessas que acredita sim que F.R.I.E.N.D.S será para sempre ❤

Com amor,
Vivi 

sábado, 18 de abril de 2015

Kindness: sobre ser gentil.


                        meu arquivo

Sim. Eu acredito nessa coisa. Nessa tal de gentileza, a melhor amiga da educação. Aprendi a ser gentil com os ensinamentos dos meus pais. Dizer bom dia, com licença, por favor, obrigada e todas essas palavrinhas mágicas - que podem sim mudar até o dia de uma pessoa pra melhor! - faz parte do meu jeito, de quem eu sou. De tanto falar e aprender o real significado desses gestos com a vida, com o tempo, ser gentil virou rotina. E dessa rotina, eu posso afirmar com todas as letrinhas que eu sou fã, ó!  

Na correria do dia a dia, nesse mundo louco e tão cruel, às vezes, muita gente acaba se esquecendo de praticar a gentileza. Um sorriso, algo tão prazeroso de ser dado a alguém, acaba sendo negado no meio de tantas coisas que acontecem na vida. É triste, mas é - infelizmente - real. Sou grata aos meus pais por me ensinarem a ser gentil, educada e simpática com as pessoas, sem me importar com quem elas são, apenas por serem pessoas e por carregarem um coração dentro de si. Mas eu sou mais grata ainda a mim mesma nesse quesito. Sou grata a mim porque apesar dos baques da vida, apesar da correria em busca dos meus sonhos, eu encontro forças pra ser gentil. Eu encontro forças pra desejar tornar o dia - e a vida! - do próximo um tantinho melhor, mais leve, mais colorida, mais feliz. Porque a gentileza é isso. Essa coisa boa de ser você mesmo com um sorriso no rosto e se doar ao próximo com amor e por amor. Ser gentil é ser do bem. Ser gentil é ser amor. Ser gentil é uma questão de amor, também. 

E você? Anda praticando a gentileza por aí? Ser gentil vale a pena. Ser gentil sem esperar nada em troca é uma benção. Seja gentil e atraia a gentileza até você. Coisas boas só acontecem se a gente se permitir a elas. E bem, eu estou de braços, coração e alma abertos para receber coisas boas e bonitas. E tô bem feliz praticando a gentileza todo dia. Ô terapia boa danada essa. E o melhor: é de graça! 

Com amor,
Vivi

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Cozinha com amor - Bolo de Cenoura Tradicional







Sim, eu amo bolos. São a minha parte favorita do mundo da confeitaria - pelo qual eu ouso passar! haha - sem dúvida. E amo mais ainda poder fazer bolo para quem eu amo. Aprendi a gostar tanto assim de bolos com a minha mãe. Se alguém ama mais essa maravilha que eu, é ela. Por isso, mais uma vez me aventurei na cozinha pra cozinhar pra pessoa que eu mais amo nesse mundo, minha mama! Porque cozinhar com amor é muito melhor, não é mesmo? 

E nada - na cozinha! - combina mais com esse clima friozinho de interior no outono que um bolo quentinho pro café da noite. Como eu queria muito fazer um bolo de cenoura tradicional - sim, já tem receita de bolo de cenoura aqui mas aquele é diferente desse ó! vai por mim - e com uma ganache por cima, esse foi o escolhido da vez! 

Descobri a receita no Cozinha Prática da Rita Lobo e não teve erro, meu bem! Mas eu sou bem chatinha e sempre acabo dando umas modificadas nas receitas, confesso. MAS pode ficar tranquilo que a notícia é boa: o bolo ficou uma delícia, macio, cheiroso e com cara de interior, ê meu coração. 


Ingredientes do amor:

Três cenouras médias! 4 ovos! 1/2 xícara de óleo! 1 e 1/2 xícara de açúcar! 2 xícaras de farinha de trigo! 1 pitada de sal! 1 colher (chá) de fermento! 
Manteiga e mais um tiquinho de farinha de trigo pra untar a forma.



Preparo com amor

Lave bem as cenouras, rale-as e depois as corte em rodelas. Em um liquidificador, coloque os 4 ovos um a um, o açúcar, o óleo e as cenouras! Bata essa mistura por cerca de 5 minutos. Enquanto isso, peneire a farinha de trigo, o fermento e o sal em uma tigela. Acrescente a mistura do liquidificador à tigela dos secos e misture bem até ficar tudo homogêneo. Despeje a mistura sobre uma forma untada e enfarinhada e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por 50 minutos! 

O cheirinho de bolo vai preencher a sua cozinha e você só vai querer abraçar essa maravilha! Mas cuidado ó, ta quente. 



Depois que o bolo esfriou um pouquinho, preparei a ganache de chocolate (a receita dela está no post do ovo de colher!) e despejei por cima do bolo de cenoura. AI GENTE, sério! Me abraça, vai. 

*Cozinhe ouvindo Chamego Meu - Anavitória (meu xodozin dos últimos dias! ❤) 

Com amor,
Vivi

Fotos: todas do meu arquivo pessoal. 

sábado, 11 de abril de 2015

Pra ouvir, amar e relaxar - O5


pinterest 




Sim, quando eu vicio em uma música, eu vicio de verdade. Só quero escutá-la e cantá-la e compartilhá-la com meus amigos. Sério! Por isso minhas playlists vão sim sempre ter algumas músicas repetidas cá ou ali. Até porque música boa de verdade vale a pena ouvir sempre, porque além de tudo faz um bem danado pra alma e pro coração! 

Dessa vez, a lista é super especial e com músicas bem tranquilas e gostosas de se ouvir e cantar junto. Vão me acompanhar bem assim que eu pegar a estrada hoje para o meu interior favorito nesse mundão! 

Para ouvir as músicas clique aqui

1. Chamego meu - Anavitoria
2. A Sua - Marisa Monte
3. Vai - Alma Djem
4. Eu me lembro - Clarice Falcão feat. Silva
5. Não vá embora - Marisa Monte
6. Dia Clarear - Banda do Mar
7. Home - Edward Sharpe and The Magnect Zero
8. Ai que saudade d'ocê - Zeca Baleiro

Com amor,
Vivi

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Porque eu escolho ser bonita.


meu arquivo

Ontem eu vi um vídeo MUITO bacana. Mais uma campanha linda da Dove. Se tem uma marca que faz campanhas inteligentes e do bem é essa. A campanha da vez trata sobre como você se considera para o mundo: bonita ou comum. Sei que muitas meninas se acham normais. Tenho amigas que falam assim. Eu mesma já me achei comum várias vezes. Mas... Por que não posso me achar bonita? Afinal, beleza é uma coisa individual, única, especial, sua, minha, nossa. 

O fato é, minha cara, que eu não preciso ter o rosto da Megan Fox pra me considerar bonita. Eu não preciso ter olhos verdes ou azuis. Eu não preciso ter cabelo liso natural. Eu não preciso ser alta. Eu não preciso ter pernas finas. Eu não preciso ter barriga chapada. Eu não preciso ter um rosto totalmente livre de espinhas - por mais que isso seja um sonho né? - Eu não preciso. Eu não preciso estar sempre maquiada pra me sentir bonita. E eu não somente não preciso, como eu também NÃO QUERO! Sabe? Eu aprendi a me amar assim. Sendo baixinha, tendo uma gordurinha ali, tendo olhos castanhos escuros, lidando com uma espinha num dia e essas coisas. Aprendi a me ver bonita com todas as minhas características. Entendeu bem? Minhas caractéristicas, meus detalhes únicos.

Tem dias que realmente não é lá muito fácil se olhar no espelho e dizer a si mesma que tá tudo bem, você é linda como você é e todas essas coisas. Mas com o tempo - e o reforço diário de que isso é verdade! - a gente aprende. A gente aprende a se achar bonita até mesmo quando acorda com remela nos olhos, o sorriso meio torto e os cabelos extremamente bagunçados. A gente aprende a se amar desse jeito. Do jeito que nós verdadeiramente somos. Sem medo do que o tal mundo vai falar. Deixe que ele fale. Who cares?

E bem, minha cara, é exatamente com o jeito que você, eu e todas nós somos, que podemos - ou melhor, devemos! - nos considerar bonitas. Não escolha ser comum. Não escolha ser normal. Não queira mesmo ser só mais uma na multidão. Você não foi escolhida pra isso. Você é bonita! E merece, de todo coração, ser vista como tal.

E hoje eu escolho ser bonita. Por dentro e por fora. Até os últimos dias da minha jornada. Sinta-se mais que convidada a fazer essa escolha também. Porque, como eu já disse, você merece ser bonita.

Quem quiser ver o vídeo lindo da campanha, clica aqui!

Com amor,
Vivi

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Cozinha com amor - Ovo de colher!




Sobre a Semana Santa: foram 4 dias cheios de luz, bênçãos e graças em minha vida, obrigada! Essa semana tem muito significado pra mim e esse ano foi tudo muito especial e iluminado. Desde que nasci, meus pais sempre me ensinaram todos os significados da nossa religião e da nossa fé. Esse momento - a morte e a ressurreição de Cristo - tem um sentido MUITO importante pra mim e pra muitas pessoas. E esse ano eu vivi momentos incríveis, cheios de paz e amor durante esta Semana Santa, renovando a minha fé e agradecendo pelo quão iluminada e abençoada eu sou. So, thank God for everything! Thanks for be love. For all of us. ❤

Eu precisava mesmo falar sobre como eu me sinto em relação a esse momento. E acho muito válido expôr aqui no meu blog isso, não é? É sim. Sim, Deus é amor. E eu sou muito grata por tudo.

AGORA vamos falar sobre o assunto principal do post - YAY - que é sim mais uma receitinha! Páscoa é passagem, é renovação, é vida, é amor, é alegria! E tem coisa mais gostosa que cozinhar pra celebrar esse momento tão lindo? Chocolate é amor, também. E por isso, hoje eu trouxe o que eu fiz pra sobremesa de Páscoa desse ano e presenteei meus pequenos primos, minha mãe e minha tia. E antes que você, meu caro, diga que não dá mais tempo de comprar ovo, pode parar! Dá tempo sim, é só correr num supermercado ou lojas especializadas que você ainda vai encontrar, vai por mim!



Decidi que não queria um ovo desses caros esse ano. Decidi que faria os meus próprios e recheados! Mas, na hora fiquei um pouco insegura de quebrar os ovos na hora que estivesse desenformando, então veio a solução: comprei ovos de chocolate ao leite desses simples mesmo e de tamanho médio. Depois foi só colocar a mão na massa e AI MEU HEART.


Recheio do ovo de colher: bolo (ou brownie) de chocolate! ganache de chocolate! coco ralado!

Preparo com amor: Preparei o brownie conforme as instruções da embalagem da massa pronta - sim, eu estava com pressa e preferi usar a massa pronta e ficou uma delícia! - e depois que ele assou por uns 25 minutos, esperei que esfriasse e enquanto isso preparei a ganache. Essa é a MELHOR ganache de chocolate do mundo! Fervi o creme de leite (de caixinha mesmo!) e depois despejei sobre gotas de chocolate meio amargo (você pode usar barra de chocolate também, eu preferi usar meio amargo já que o ovo já era de chocolate ao leite, mas fique à vontade!), misturei bem e acrescentei uma colher de sopa de manteiga! Mexi mais e pronto! Levei a geladeira por mais ou menos 30 minutos - o tempo do bolo esfriar também.

E agora, hora de finalmente rechear os nossos ovos de chocolate, YAY!


Montagem: Em uma banda do ovo, espalhei uma fina camada de ganache. Esfarelei o bolo todinho e coloquei até chegar ao topo. Em um recipiente à parte, misturei um pouco da ganache com o coco ralado e depois coloquei sobre o bolo no ovo, espalhando bem! Pra terminar, coloquei coco e granulado por cima e pronto! 




SÉRIO! Foi o melhor ovo de Páscoa da vida! Ficou realmente MUITO bom, cremoso e não consigo explicar mais, só sentir! Tanbém não tinha como dar errado juntar brownie com ganache e coco né? Não mesmo! 

Você pode usar o recheio que você quiser, coloca a imaginação pra funcionar e vai! 

Uma Páscoa muito doce pra você, meu caro. Mas que ela também seja repleta de amor e luz. Não se esqueça jamais do real sentido deste momento! 

Com amor, 
Vivi.


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Pra ouvir, amar e relaxar - O4




YAY! Eu amo a Semana Santa. Não somente pelo fato de ser a semana mais especial pra minha religião - sou católica - mas também pelo fato lindo de poder reunir quase todo mundo da família, orar, passar bons momentos todos juntos e descansar também. Nos anos anteriores, eu passei esses dias iluminados lá no interior, onde a minha família paterna mora e onde eu e meus pais temos uma casa que eu AMO e que tô morrendo de saudades de ir novamente. Mas, esse ano, eu e minha mãe decidimos passar a Semana Santa na casa da minha tia e eu estou super feliz e animada pra ir já que nós três somos muito unidas e vamos conseguir reunir a minha família materna toda lá, YAY!

Mas chega de falar tanto e vamos ao que interessa: as músicas que eu escolhi para a playlist dessa semana! Como vai demorar um pouquinho pra gente chegar na casa da minha tia e eu sempre gosto de ouvir música, e mais ainda no trânsito pra relaxar, já montei a minha lista com músicas que eu amo e estou curtindo muito ouvir esses dias. E que eu sei vão deixar meu trajeto muito mais feliz!

Pra ouvir as músicas, clique aqui!

1. Mais Ninguém - Banda do Mar
2. Eu Me Lembro - Clarice Falcão feat. Silva
3. Você é Tudo - Jorge Vercilo
4. Eu Te Devoro - Djavan
5. Anitta - Ritmo Perfeito
6. Sugar - Maroon Five
7. Coincidência - Alfredo Del Penho*

*Procura, meu caro, essa última música no youtube que você vai achar sim! Não achei no Vagalume, mas é muito lindinha e vale a pena ouvir!

Com amor
Vivi

terça-feira, 31 de março de 2015

Sobre você, querido.

pinterest


É verdade. Isso o que você me disse outro dia. Sobre não ser bom com datas especiais. Mas todo dia você está aqui ou ali, comigo. Você também não é dos melhores quando se trata de cozinhar. Mas às vezes consegue acertar naquela pizza caseira ou naqueles ovos mexidos com queijo pro café da manhã de domingo. Você não sabe mesmo comprar bons lugares pro cinema. Mas sempre consegue um lugarzinho perfeito no farol da Orla pra vermos o pôr-do-sol no final da tarde aos sábados. Você erra sempre que tenta me comprar algum anel. Querido, eu não gosto deles. Porém, você sempre acerta quando me dá flores. Rosas brancas. Minhas favoritas. Você não é muito bom em arrumar a nossa cama, mas é o melhor quando o assunto é deixar ela bagunçada. Você não sabe contar piada, mas eu dou risada mesmo assim. Você... Ah, você. Eu nunca pedi alguém perfeito. Um cara ideal. Não. Eu só queria alguém que me colocasse um sorriso nos lábios toda manhã pelo simples fato de existir. Eu só queria alguém que ouvisse e cantarolasse as músicas mais suaves e românticas comigo. Eu só queria alguém que aquecesse meus pés com as mãos quando o frio chegasse. Eu só queria... Eu só queria mesmo você. Eu só quero você. Eu só vou querer você. Porque a nossa vida é boa assim. Só com eu e você. Não ligo se você não é bom com datas, com cozinha, com achar lugares bons no cinema e o que mais tiver. Porque eu sei que você sempre vai me abraçar e me fazer rir contigo das coisas mais bobas. Com o nosso jeito de amar, de amor. E isso é mais que suficiente.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Sobre a sinceridade em nós mesmos.


Nem sempre eu consigo ser só sorrisos. Geralmente, eu acordo bem, mas não sou de muitas palavras logo cedo. E se a coisa não estiver lá muito boa, fecho a cara mesmo. Eu gosto MUITO de sorrir, de coração. E gosto disso pelo simples fato disso transparecer a minha alma. Gosto como meu rosto muda quando eu sorrio, gosto de transmitir ao mundo o quão bom é ser feliz. Mas ser é diferente de estar. E tem dias, meu caro, que eu não estou. É, e mesmo aquelas pessoas que sempre parecem estar com tudo resolvido nas vidinhas delas, também acordam para um dia em que não estão felizes. E forçar a barra, forçar o fingimento - no meu caso - não faz nada bem e só piora mais ainda o caos do dia. 

Todo mundo tem problemas. Uns mais, outros menos. Alguns com problemas sérios, outros nem tanto assim. Mas cada um tem a sua trouxinha de trouble. E algumas dessas trouxinhas, meu caro, pesam muito mais que outras. E a gente precisa respeitar isso. A gente precisa se respeitar. Saber olhar no fundo dos olhos do outro e aceitar aquela dor que ele sente. E não somente aceitar. Mas ajudar também. Oferecer um sorriso seu, um aperto de mão suave, um abraço demorado, um ombro tranquilo capaz de absorver as lágrimas ou, quem sabe, apenas um bom ouvido para escutar o desenrolar daquela trouxinha. 

Eu tenho os meus problemas. Meus pais também têm os deles. Meus amigos também. E por aí se vai... E em alguns dias, os meus problemas, tiram o sorriso do meu rosto. Porque acaba sendo muito difícil me manter assim por fora enquanto o meu mundo desaba dentro de mim. Chatinho demais isso, eu sei. Algumas vezes - na maioria delas - eu deixo as lágrimas escorrerem por meu rosto. Ouvi falar que faz bem chorar, colocar pra fora, não se prender. E olha, faz bem mesmo. 

Qual a lição disso tudo, meu caro? Sinceridade. Sabe? Não há nada mais você que ser sincero. Ser sincero com o outro. Ser sincero consigo mesmo. Não finja sentimentos, caráter, personalidade e emoção. Tudo tem que partir de dentro de si mesmo. Com verdade, com luz, com amor. Sorrir faz muito bem, ô se faz. Já falei disso mil vezes por aqui. Mas se for pra fazer isso, que seja de coração. E, no final das contas, fechar a cara num dia cinzento ou chorar rios de lágrimas numa tarde chuvosa também faz parte.